sexta-feira, 27 de janeiro de 2023 - 27/01/2023 21:25:08
Nice Content News

Os últimos anos não foram fáceis para ninguém, nem para as pessoas que tiveram que lidar com a crise trancadas em casa pela pandemia, e nem para quem trabalha diretamente nas lavouras. Logo que o vírus deu uma trégua, tivemos que lidar com conflitos na Europa e muitos outros problemas.

O agro teve que se manter firme, dando alguns escorregões por conta dos preços de insumos. Não foi fácil, mas parece que a luz no fim do túnel finalmente chegou, e as pessoas já estão se permitindo serem mais confiantes com tudo o que pode acontecer.

Mas hoje, tudo o que podemos fazer são previsões para o próximo ano, se baseando em tudo o que sabemos até aqui. Mas qual será o futuro do agronegócio quando 2023 chegar?

Portanto, vamos falar sobre isso hoje e falar sobre as expectativas desse setor gigantesco, e como tudo pode se desenrolar. 

O que este artigo aborda:

Crescimento do PIB

O PIB do agronegócio é importante, e é uma boa amostra do que o esse setor fez no ano e pode fazer no próximo. O PIB de 2021 teve uma boa alta, mas em 2022 infelizmente houve uma queda considerável graças aos conflitos da Ucrânia com a Rússia, que criou um cenário instável e fez com que o preço da maioria dos insumos aumentasse.

Qual o futuro do agronegócio?
Pin It

Foto: Pexels

Isso gerou uma pequena inflação nos preços, que prejudicou o lucro de absolutamente todo mundo, e claro, pesou no bolso do consumidor final também. No entanto, as coisas prometem ser consideravelmente diferentes agora.

Em 2023 é provável que o PIB suba 2,5%, e isso se dá ao fato de que a economia deve voltar a acelerar, os insumos não deverão mais dar muita dor de cabeça, e a exportação deve estar a todo vapor. 

O lado bom é que quando o PIB aumenta, a economia do país fica melhor, os preços passam a ficar mais competitivos, e o consumidor final acaba colhendo apenas frutos de preços mais cômodos.

Menos problemas com o clima 

Mas não foi apenas o conflito na Europa que gerou alguns problemas para os brasileiros. O agronegócio teve que lidar também com a mãe natureza, que não foi nada gentil com o país no último ano. 

Os problemas climáticos iam de estiagem prolongada, chuvas demais em alguns lugares, frio demais em outros, basicamente se existia um clima considerado adverso para determinado plantio, eles tiveram que passar por ele. 

Esse ano parece que as coisas vão dar uma amenizada, e até o momento os cientistas não colocam 2023 como um ano de anomalias climáticas como foi 2022. Podem é claro existir surpresas igual está já acontecendo em outras partes do mundo, mas ao que parece, vai ser mais brando.

O que deixa os agricultores felizes, porque por mais que insumos caros sejam um problema, não tem o que fazer quando a mãe natureza decidiu não colaborar a não ser esperar e torcer pelo melhor, e nesse tipo de ramo você quer estar o máximo possível com o controle das coisas.

Crescimento, porém, com desafio

O agro não para de crescer e em todas as suas variáveis, e isso fica bem claro quando olhamos para o quantos números de produção não param. Um bom exemplo disso são os grãos. O Brasil é o maior produtor de grãos do mundo, o trabalho de armazenagem de grãos precisa acompanhar, isso definitivamente não é fácil. 

Quanto mais demanda, mais produção, quanto mais produção mais infraestrutura é necessária. Essa parte é importante para não termos mais ambição que capacidade de lidar, e um dos grandes desafios para 2023 no agro vai ser acompanhar o crescimento da área.

Principalmente porque estamos vindo de uma baixa, e muitas compras só serão grandes para compensar o tempo perdido, assim como tem sido com outros setores. Dessa forma, o setor vai ter que lidar com quantidades e prazos com o qual não tinha que lidar.

À primeira vista, isso dá a impressão de que o setor não está preparado para o ano que vem por aí, mas isso pode não ser totalmente real, principalmente porque com mais responsabilidade, existem duas coisas que vão chegar com força.

Mais investimento, mais empregos

Essas duas coisas são justamente investimento e empregos, duas coisas que o setor vai precisar, e que os bons ventos vão trazer. Vendo a demanda e a porção, mais pessoas vão investir no agro, sabendo que o retorno é certo.

Esse investimento vai fazer com que mais empregos sejam criados, já que o investimento vai enriquecer a indústria e permitir que ela crie mais meios para lidar com a superprodução que deve acontecer no próximo ano.

E lembrando que o agro emprega muitas pessoas direta e indiretamente, até as pessoas que trabalham diretamente no plantio e colheita, até os transportadores, os feirantes, todas as pessoas que lidam de alguma forma com esse mundo. 

Por fim, se você quiser saber mais sobre o futuro do agronegócio, veja o vídeo do canal A serviço da administração.

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Equipe Nice

A equipe do Nice Content News conta com diversos profissionais competentes e altamente qualificados para trazer o melhor conteúdo para você.

1

Pode ser do seu interesse