sábado, 28 de janeiro de 2023 - 28/01/2023 03:49:09
Nice Content News

A vida da mulher pode mudar bastante assim que ela começa a sentir os efeitos hormonais da gestação. No entanto, as funções rotineiras que envolvem trabalho e casa, por exemplo, continuam sendo desempenhadas. A dúvida que fica é: para aquelas que utilizam o carro como meio de transporte, como dirigir com facilidade e segurança?

Não existe nenhum tipo de proibição na legislação de trânsito brasileira para mulheres saudáveis e que não apresentam gestação de risco. 

O que vale mesmo é considerar as situações de risco, baseando-se em questões individuais, seguindo, é claro, a recomendação médica e respeitando os sinais do corpo.

Segundo um estudo realizado pela Universidade de New South Wales, na Austrália, devido às alterações hormonais e à ansiedade no período gravídico, as grávidas podem ter uma leve perda da memória e falta de atenção. Por isso, aumentar os cuidados na direção nunca é demais.

Separamos algumas dicas que podem garantir mais segurança e conforto para as gestantes que dirigem no dia a dia!

O que este artigo aborda:

Entenda o período gestacional

O corpo da mulher muda completamente enquanto carrega o bebê, fisicamente e hormonalmente falando. Sendo assim, vale entender a dinâmica de cada trimestre para prever possíveis ações e reações.

Vale ressaltar que durante toda a gestação o corpo da mulher dedica toda sua energia em permitir que o bebê cresça e se desenvolva. 

Os três primeiros meses: posso dirigir?

Os três primeiros meses fornecem um “boom” hormonal ao corpo, e possivelmente acarretará em sintomas de diversos tipos, como cansaço extremo, enjoo, falta de vitalidade e atenção, entre outros. 

Algumas mulheres apresentam sintomas mais pesados durante toda a gestação, porém, não existe uma regra. Cada corpo é único e reage de uma forma.

Apresenta sintomas de enjoo e tonturas? Não dirija

É muito comum encontrar gestantes com sintomas fortes de enjoo e tonturas, principalmente nos primeiros três meses de gestação. Nesse caso, o ideal é evitar a direção para prevenir possíveis acidentes causados por um mal-estar súbito.

Segundo trimestre: perceba os sinais do corpo

O segundo trimestre é conhecido como o período mais tranquilo e cheio de vitalidade para a maioria das gestantes. 

Ou seja, os níveis hormonais ficam mais equilibrados, além de o corpo estar mais adaptado ao feto crescendo e à quantidade de energia depositada durante o processo.

Dirija e tome alguns cuidados

Para gestações sem risco, o segundo trimestre é o mais seguro para realizar ações rotineiras, como praticar atividades físicas e dirigir. Sendo assim, basta tomar alguns cuidados.

Cinto de segurança durante a gestação

Usar o cinto de segurança continua sendo obrigatório, mesmo com a barriga crescendo. Sendo assim, a fita inferior não deve passar sobre a barriga — sendo mantida o mais baixo possível — e a fita diagonal deve passar entre os seios e os ombros.

Ajuste a direção 

É importante perceber como o ajuste da direção pode proporcionar maior conforto na hora de dirigir. Ajustar a inclinação do banco e do volante, por exemplo, traz maior segurança para a gestante.

Dores na região lombar ou perineal? Use uma almofadinha

Mesmo vivendo o período mais tranquilo da gestação, é possível que algumas dores aconteçam com o crescimento do bebê. Sendo assim, utilizar almofadas para melhor acomodar o quadril e a coluna podem ajudar a amenizar os desconfortos.

Independente do período: faça manutenção do veículo

Não importa em qual período da gestação, e até mesmo se a mulher não estiver grávida, a manutenção do veículo é fundamental para dirigir com mais tranquilidade.

Sendo assim, fazer revisões periódicas, calibrar os pneus e evitar esperar ruídos diferentes no veículo para levá-lo até o mecânico faz parte da vida de quem dirige no dia a dia.

Último trimestre de gestação: até quando posso dirigir?

No último trimestre da gestação, novos sintomas podem aparecer, como azia, fadiga, cansaço, dores na região do quadril, na coluna, no períneo, e até falta de ar.

No entanto, não existe um limite estabelecido em lei para que a mulher pare de dirigir. 

Perceba os limites do corpo

Além de contar com a recomendação médica, a gestante deve avaliar e perceber os limites do corpo para que não corra riscos. Afinal, nesse período, a barriga já está maior e a chance de ocorrer algum atrito em direção ao volante é maior.

Alguns médicos recomendam que a partir das 36 semanas a gestante não dirija o veículo, reduzindo as chances de entrar em trabalho de parto enquanto dirige, por exemplo.

No entanto, não existe proibição. O que vale mesmo é redobrar a atenção, contar com companhia sempre que possível e sentir o próprio corpo, para tentar reduzir o risco de possíveis acidentes.

Por fim, se você ainda tem alguma dúvida sobre o tópico abordado, veja o vídeo do canal MinutoMotor.

Com essas dicas, você poderá dirigir com facilidade e segurança no dia dia da gestação! 

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Equipe Nice

A equipe do Nice Content News conta com diversos profissionais competentes e altamente qualificados para trazer o melhor conteúdo para você.

1

Pode ser do seu interesse