sábado, 26 de novembro de 2022 - 26/11/2022 17:58:03
Nice Content News

O engajamento no trabalho aumenta a produtividade das equipes, melhora o ambiente organizacional e otimiza os resultados nas empresas. Essa é a conclusão de diversas pesquisas sobre o tema que se apresenta como um dos principais desafios do setor de Recursos Humanos (RH). 

Inseridas na era da transformação digital, empresas incorporam práticas e ferramentas eficientes dentro de suas políticas corporativas. O uso de um diagrama online, por exemplo, possibilita que toda a equipe se conscientize sobre a importância de cada um e de cada projeto.

Nesse cenário, o percurso para contar com funcionários mais envolvidos e identificados aos valores da organização passa por fatores como definição de propósitos e metas, humanização, flexibilidade, planos de salários e incentivos. 

De acordo com uma pesquisa da Right Management, profissionais motivados são 50% mais produtivos. Isso porque um colaborador satisfeito produz mais, gerando, consequentemente, mais resultados para a companhia. O estudo entrevistou 30 mil profissionais de 15 países diferentes, sendo 10 mil deles brasileiros.

A relação entre o bem-estar dos funcionários e as metas das empresas também é discutida no contexto do RH. Um levantamento feito pela Universidade de Oxford mostrou que 13% dos indivíduos executam melhor as atividades e são mais produtivos quando estão felizes. Assim, para além das questões técnicas e processuais, as empresas devem considerar o engajamento no trabalho.

Canais especializados, entidades sindicais e empresas elencam alguns passos e recomendações para gerar engajamento e aumentar a produtividade no trabalho. 

O que este artigo aborda:

É preciso ouvir a necessidade dos trabalhadores 

O primeiro passo para engajar a equipe é ouvi-la. A pesquisa “Comunicação Não Violenta nas Organizações”, da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), revelou que a falta de empatia nas corporações foi apontada como importante para 89% dos funcionários. 

Mais da metade dos trabalhadores brasileiros ouvidos afirmaram sofrer de ansiedade no local de trabalho (52%). Em seguida, os sentimentos mais frequentes apontados pelos profissionais são o cansaço (47%), o desânimo (22%) e a frustração (21%).

A pesquisa foi aplicada nas cinco regiões do Brasil em empresas nacionais e multinacionais, de quase todos os setores da economia, de pequeno, médio e grande portes. 

Segundo a especialista em Comunicação Não Violenta (CNV) e curadora da pesquisa, Pamela Seligmann, em entrevista à Agência Brasil, os resultados do estudo mostram que as companhias precisam ouvir as necessidades dos seus colaboradores e mantê-los informados sobre esse movimento.

Ela ressalta que essa atitude transforma e dá lugar a aspectos importantes para o clima da organização, como a sensação de confiança, participação, conhecimento, motivação e engajamento. 

Valorização e feedback são ações necessárias

Como destacado pelo Sindeap-RJ, reconhecer os colaboradores pelo seu desempenho faz com que eles se sintam mais motivados e engajados. Para isso, é fundamental que os líderes e gestores deixem claro para cada um dos funcionários qual a sua verdadeira missão na empresa e qual a importância que sua atividade tem para a companhia.  

Elogiar toda vez que uma tarefa for executada de maneira eficiente e estabelecer uma rotina de feedback periódico são alguns exemplos para que o sistema funcione na prática. Essa ferramenta de retorno é relevante no processo de relacionamento entre líder e funcionário para que o profissional se alinhe aos propósitos da organização.

É importante criar plano de cargos e de salários 

Um levantamento feito pela Catho, plataforma que conecta candidatos a empresas, revela que o salário e o desejo por um plano de carreira aparecem como prioridades para os profissionais. Em seguida, vem a vontade de melhorar a qualidade de vida. 

Assim, oferecer um plano salarial e de carreira com retorno financeiro é importante. Além disso, outro recurso eficiente de motivação pode ser oferecer incentivos em dinheiro como maneira de reconhecer desempenhos e cumprimentos de metas. 

Humanização e flexibilidade devem fazer parte

Compreender que o trabalhador tem uma vida com diversos desafios fora da organização é um passo fundamental para uma relação humanizada no ambiente corporativo. 

De acordo com pesquisa da consultoria Mercer, a gestão humanizada é o segundo motivo pelo qual os profissionais no Brasil ficam em uma empresa. Esse fator está atrás somente da remuneração competitiva. 

O levantamento apontou, ainda, que 43% dos brasileiros procuram mais flexibilidade no trabalho, tendo em mente, principalmente, modelos de atuação remota e híbrida.

Defina metas e proponha desafios

Por fim, canais especializados em gestão de pessoas também indicam o estabelecimento de metas e de desafios para os colaboradores como um passo significativo para aumentar a produtividade. 

Essas ações ajudam a orientar o caminho que deve ser percorrido e garante que os resultados estejam alinhados aos objetivos da empresa. O indicado é que as metas sejam traçadas junto à equipe e que os números sejam alcançáveis, para evitar estresse e insatisfação.

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Equipe Nice

A equipe do Nice Content News conta com diversos profissionais competentes e altamente qualificados para trazer o melhor conteúdo para você.

1

Pode ser do seu interesse