sábado, 10 de dezembro de 2022 - 10/12/2022 03:25:11
Nice Content News

Assim como o resto do mundo, o Brasil voltou seus olhos para a Covid-19 e abaixou a guarda para outras enfermidades que já se faziam presentes no país, como é o caso da dengue. O Ministério da Saúde relatou um aumento de 85% dos casos da doença nos primeiros meses de 2022, se comparado com o mesmo período de 2021. O número de mortes também é preocupante, atualmente registrando 73% a mais que no ano passado.

Até a metade de abril, 323,9 mil casos e 79 mortes foram registradas em todo o território brasileiro. O município de Votuporanga, localizado em São Paulo, é o líder do país, com 4.971 casos para cada 100 mil habitantes. Os estados sulistas também vêm apresentando números expressivos, algo que vem preocupando as autoridades, já que as condições climáticas mais frias sempre favoreceram a região no combate e na prevenção à dengue. Atualmente, 26 cidades em Santa Catarina já entraram em estado de epidemia, com Florianópolis declarando situação de emergência.

O que este artigo aborda:

Como a dengue é transmitida?

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que costuma botar ovos em locais com água parada. Uma pessoa picada pelo mosquito pode apresentar sintomas como febre alta e repentina, com mais de 38ºC, dor de cabeça forte, dor atrás dos olhos, dores no corpo, manchas avermelhadas na pele, falta de apetite, tontura, náusea e vômito. A febre e as dores são os sintomas mais incidentes, então quando persistem por alguns dias, já é motivo para se buscar ajuda de um profissional da medicina. É válido lembrar que a dengue não é semelhante a uma gripe, pois não causa sintomas respiratórios, o que acaba facilitando seu diagnóstico.

Além de políticas públicas melhores, a prevenção contra a dengue é individual, e consiste em uma série de medidas que devem ser adotadas em todos os lares. A principal delas é eliminar qualquer tipo de fonte de água parada, desde depósitos até vasos e garrafas. A higienização da casa é um ponto-chave desse processo, especialmente na parte exterior, que tende a acumular mais água, por causa da chuva e de outros fatores.

A presença do Aedes aegypti é mais incidente em dias quentes, especialmente no nascer e no pôr do sol. Nesses horários, é recomendado manter portas e janelas fechadas, assim como proteger as janelas com telas, para evitar a entrada de insetos na casa.

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Marcela Ferreira

Enfermeira pós graduada com especialização em traumas, urgência e emergência. 12 anos de experiência na área de saúde mental na rede SUS do município de Belo Horizonte. Atuo com criança, adolescentes, adultos e usuários de múltiplas drogas.

1

Pode ser do seu interesse